top of page
Search
  • Writer's pictureÍmpar Inteligência em Investimento

DIVERSIFICAÇÃO x CONCENTRAÇÃO


Quando falamos sobre investimentos, é muito comum que a maioria das pessoas pense em diversificação, mas será mesmo que a diversificação é o único ou o melhor caminho para qualquer investidor(a)?


A diversificação sem dúvidas é um excelente caminho para mitigar os riscos dos seus investimentos, afinal, no fundo, o que o(a) investidor(a) faz ao diversificar é colocar no seu portfólio ativos que reagem de forma diferente aos diversos cenários que podem se desdobrar ao longo do tempo.


A diversificação também é muito importante e recomendada para aqueles investidores e investidoras que buscam a manutenção/preservação e, claro, buscam também um crescimento patrimonial ao longo do tempo com risco controlado.


Já um portfólio concentrado tem maior potencial de dar “grandes tacadas”, porém carrega um risco muito maior, visto que, caso as teses de investimento desse(a) investidor(a) não se concretizem, as perdas tendem a ser muito maiores também. A construção de um portfólio concentrado requer um maior estudo e acompanhamento por parte do(a) investidor(a), pois ele(a) tem que estar por dentro dos detalhes dos cases em que investiu e acompanhar cada movimentação das empresas investidas.

Mas para que tipo de investidor(a) é mais adequado cada tipo de portfólio?


Definitivamente um portfólio concentrado só deveria ser assumido por um(a) investidor(a) com perfil agressivo, visto os maiores riscos envolvidos. Um portfólio mais concentrado pode servir, por exemplo, para um(a) investidor(a) mais jovem, que tenha muitas décadas de trabalho pela frente, mas tenha o interesse de estudar e investir em cases menos óbvios e, portanto, com maior potencial de retorno e maior risco. Esse(a) investidor(a) tem o tempo a seu favor e pode cometer alguns erros ao longo do caminho, pois tem mais tempo para recuperar algum eventual prejuízo. No espectro oposto, investidores mais experientes, com muitas décadas de mercado, também usam essa estratégia para buscar grandes valorizações patrimoniais.


Um portfólio diversificado pode ser construído por investidores de qualquer perfil, pois, mesmo na renda fixa, é possível diversificar entre indexadores e eventuais estratégias de renda fixa.


Um portfólio diversificado é mais dinâmico e atende à maioria dos investidores. Ele não tem grandes posições em nenhum ativo, portanto não requer tanto cuidado na montagem de investimentos quanto um portfólio concentrado.


Abaixo coloco um exemplo apenas ilustrativo de um portfólio concentrado e outro diversificado. O período base para este exemplo foi de 04/01/2016 a 25/04/2022.


Para esse exemplo escolhi propositalmente uma empresa que foi muito bem, uma que foi muito mal e para representar o restante da(s) carteira(s) usei o BOVA11, considerando que o(s) outro(s) ativos ficaram na média do mercado.


Para esse exercício considerei aportes de R$ 30.000,00 no dia 04/01/2016. Na carteira concentrada, dividi os aportes em 3 partes, ou seja, cada um dos cases recebeu R$ 10.000,00. Já na carteira diversificada, dividi os aportes em 30 partes, considerando R$ 1.000,00 para cada case, sendo que 1 das partes foi para o case que foi muito bem, 1 das partes para o case que foi muito mal e as outras 28 partes ficaram na média do mercado através do BOVA11. Veja o resultado abaixo:

Como podemos concluir, nenhuma das duas carteiras teve um retorno ruim, porém, neste exemplo, a carteira concentrada teria tido um retorno quase 7 vezes superior ao retorno da carteira diversificada, uma vez que seu retorno foi de 27,89 vezes o capital investido, enquanto o retorno da carteira diversificada foi de 4,23 vezes.


É muito importante lembrar também que a história só nos conta o que ocorreu e nunca nos conta o que poderia ter sido. Imagina se o processo transformacional pelo qual MGLU3 passou nos últimos anos não tivesse dado certo, e a empresa tivesse eventualmente falido, como teria sido o retorno de cada carteira.


Veja abaixo:


Portanto, não existe uma fórmula mágica ou um modelo certo ou errado. A carteira de cada investidor(a) deve ser adequada ao seu perfil. Como eu sempre digo, a carteira de investimentos de cada pessoa não deve lhe gerar ansiedade e desconforto.


Eventualmente pode dar alguma emoção (como nos últimos dois anos), mas se você não estiver dormindo a noite por conta dos seus investimentos, está na hora de rever as suas alocações, talvez reconhecer os prejuízos e voltar a ter noites mais tranquilas de sono.


6 views0 comments
whatsapp-logo.png
bottom of page