top of page
Search
  • Writer's pictureÍmpar Inteligência em Investimento

ENTENDENDO O DIALETO DO MERCADO FINANCEIRO



Você conhece as gírias e jargões do mercado financeiro?

Existem muitos termos usados no mercado financeiro que por vezes confundem os investidores e investidoras que começam no mundo dos investimentos! Você já passou por aquela situação em que pessoas com mais conhecimento desse segmento estão conversando, e você acha que eles estão falando em outra língua? Saiba que você não foi o(a) único(a).


Todos que entram nesse mundo precisariam receber um dicionário, isso mesmo, um dicionário próprio sobre as gírias e jargões do mercado financeiro!

É normal se sentir com dúvidas no começo, sem saber exatamente do que os outros investidores estão falando. Mas é importante começar a conhecer os termos, porque muitos deles serão utilizados em materiais e conteúdos que orientarão você nessa jornada.


Pensando nisso trouxemos aqui alguns exemplos para você começar a se familiarizar ou então descobrir algum termo que ainda não conhece! Vamos lá?

After Market: refere-se à negociação fora do horário habitual de funcionamento da bolsa de valores.

Agressão: o termo é usado quando um lado do mercado (vendedor(a) ou comprador(a)) executa diversas ordens que fazem com que os preços se desloquem para determinado patamar.

Alavancagem: é uma espécie de limite de crédito, que possibilita que você invista um valor maior do que tem em conta.

Andar de lado: significa que o mercado está sem direção definida, sem tendências de alta ou baixa, ou seja, está estável, neutro.

Aporte: é a primeira aplicação de um(a) investidor(a).

Bacen: é o termo usado para se referir ao Banco Central do Brasil.

Blue Chips: ações de maior valor no mercado, geralmente ligadas a negócios mais consolidados.

Book de ofertas: local onde você encontra todas as intenções de compra e venda de ativos negociados na Bolsa de Valores.

Carteira de ativos: é o conjunto de aplicações que uma pessoa, investidor(a), possui.

Circuit Break: mecanismo utilizado pela Bolsa quando o mercado tem queda de mais de 10% no mesmo pregão, paralisando as negociações por uma hora para que os investidores “esfriem os ânimos”.

COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil): órgão responsável, entre outras coisas, pela determinação da taxa Selic.

Cota: é uma fração de um Fundo de Investimento.

Cotação: é o preço, o valor de uma mercadoria, moeda, ação, título, entre outros, estabelecido e negociado no mercado.

Custódia: é a guarda e o exercício de direitos sobre títulos e valores depositados em nome de um determinado investidor(a).

Dedo gordo: é uma brincadeira com um tipo de erro comum no mercado, de quando um(a) investidor(a) decide comprar ou vender lotes de ações e acaba “exagerando na dose” ou errando a quantidade operada.

Derreter: é um termo usado para descrever uma queda de preços brusca no mercado de ações. Quando uma ação sofre uma baixa muito forte, é comum dizer que ela “derreteu”.

Dividendos: parte dos lucros de uma empresa, distribuída a seus acionistas como forma de remuneração.

Follow on: o termo é usado quando uma empresa, já listada em Bolsa, decide ofertar mais ações no mercado.

Hedge: é uma estratégia em que o investidor monta uma barreira para proteger seu investimento.

Home Broker: é uma plataforma digital que possibilita a compra e a venda de títulos e ações.

IPCA: é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e é a partir dele que a inflação do país é medida.

IPO (“InitialPublicOffering”): é quando uma empresa abre capital para que suas ações sejam negociadas ao público geral na Bolsa de Valores.

Liquidez: é a facilidade de resgatar ou vender um ativo, ou seja, quanto mais rápido esse processo for, mais alta é a liquidez daquele ativo.

Ordem: decisão de investimento feita por um investidor ou trader na plataforma de sua corretora para comprar ou vender um ativo.

Posição zerada: refere-se ao investidor que não está comprado nem vendido.

Posicionado: refere-se ao investidor que mantém sua aplicação ou posicionamento em algum ativo.

Pregão: é quando a bolsa de valores está funcionando.

Small Caps: são ações de menor liquidez, geralmente de empresas de médio ou pequeno porte.

Volatilidade: é a força da variação da cotação de um determinado ativo em um período específico.

Zerar: é usado quando um(a) investidor(a) encerra qualquer posição aberta no mercado, seja comprado, seja vendido.

Fonte: XP Investimentos e Infomoney


2 views0 comments
whatsapp-logo.png
bottom of page